PESQUISAR NESTE BLOG:

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Zé Preto - Singela homenagem



José Augusto de Andrade Júnior, aliás Zé Preto, cultivou entre outros géneros literários, a poesia tendo vindo a revelar-se, no seu curto período de criação literária, um talento promissor, quer como dramaturgo quer como novelista.

As suas obras, dispersas ao longo de décadas por manuscritos e páginas de jornal, estão agora reunidas e organizadas num único volume.

Tratam-se de textos de rara beleza, que não só reflectem, de um modo impressivo, a identidade marítima dos sesimbrenses, como constituem, igualmente, um importante retrato de Sesimbra da primeira metade do século XX, que viveu o ciclone de 1941 e atravessou os anos sombrios da II Guerra Mundial.

Fonte: CMS
--------------------------------------------------------------------
Nota biográfica

No dia 18 de Janeiro de 1920, nasce, em Setúbal, o poeta José Augusto de Andrade Júnior (Zé Preto).

Ainda muito pequeno, veio para Sesimbra, ficando aqui a residir, com a avó paterna.

"Uma saúde frágil, determinada por uma insuficiência congénita na aorta, e a necessidade de assegurar a subsistência da família - Zé Preto era aferidor de pesos e medidas na Câmara Municipal de Sesimbra - não terão permitido que os seus dotes de poeta, dramaturgo e pintor atingissem, nos seus curtos 28 anos de vida que lhe couberam, a plenitude que o seu talento prometia".

Faleceu, no dia 1 de Maio de 1948, tendo sido sepultado no cemitério da Ajuda.

Só em 1922, os seus restos mortais foram trasladados para Sesimbra, terra que adoptou, muito amou e soube cantar.

Os seus trabalhos foram reunidos no livro "Mar Nosso", editado pela Câmara Municipal de Sesimbra, em 1996.

Fonte: http://expresso.sesimbra.pt

Sem comentários: