PESQUISAR NESTE BLOG:

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Matrix - O filme

GOSTAVA DE "OUVIR" OUTRAS OPINIÕES!



Como sabem, existem vários tipos de filmes, ou melhor, vários géneros cinematográficos. Acção, aventura, comédia, etc.

E, entre os vários géneros existem os bons e os maus filmes.

Quanto ao maus filmes não vêm agora ao caso.

No que respeita aos bons filmes, em meu entender, existem ainda aqueles que, apesar duma boa fotografia, dum bom argumento e dum bom elenco de autores servem apenas para nos distrair. Ou seja, o seu objectivo principal não é passar uma mensagem ou efectuar uma crítica, por exemplo.

Pessoalmente estes últimos são os meus preferidos.

O filme que Vos trago hoje, apesar de já ter uns anitos é, em meu entender, um dos melhores filmes que alguma vez foram realizados.

Por vários aspectos, sendo o mais flagrante a novidade dos efeitos especiais mas, em especial pela mensagem.

Quando vi "Matrix" pela primeira vez, um ou dois anos depois do filme ter saido no cinema, fiquei embasbacado. Equacionei-me porque não tinha visto o filme antes? De facto a sua visualização é obrigatória.

Por vezes, em conversa com amigos, dizem-me que, quando lhes apresento a minha interpretação do filme, vejo coisas que onde não existem.

Pois, por mim, creio bem que eles é que olharam mas não viram!

Antes de mais, não nos podemos esquecer que se trata dum filme, com toda a espectacularidade que os mesmos exigem e, neste caso em especial, muito bem conseguido. Por fim, a mensagem é clara, Matrix é história de Jesus Cristo. Um Jesus Cristo do futuro, do século XXV ou XXX se quisermos mas, Matrix é isso mesmo.

Não sei qual foi a ideia dos irmãos Wachowski enquanto escritores e realizadores?

Nunca li que dissessem tratar-se do que afirmo mas, para mim, assim é!

A mensagem, transmitida de forma soberba, continua a ser a mesma. Paz, igualdade, irmandade, esperança num mundo melhor.

Neo (Keanu Reeves), o actor principal, é o verdadeiro Jesus Cristo, não lhe faltam "os poderes" sobrenaturais que levam aqueles que o seguem a acreditar que se trata do "escolhido", o homem santo, o próprio filho de Deus. Neo em grego significa novo, uma nova era, uma nova vida. Não é inocente, em meu entender,a morte do protagonista, de braços abertos, como que cruxificado, transportado pelas máquinas como Jesus para o Calvário.

Não lhe falta um São João Batista, encarnado pelo actor Laurence Fishburne, na personagem de Morpheu que, em grego significa "Deus dos sonhos". O sonho e a esperança na mudança e num mundo melhor. Não era o que São João Batista anunciava?

Tal como Cristo o recebe o batismo de São João Batista, Neo, recebe-o de Morpheu personificando neste como que uma aceitação pelos demais daquilo que era e do que representava.

Podemos considerar que os companheiros de Neo, seriam talvez uma espécie de discípulos, sendo Trinity (Carrie-Anne Moss) Maria Madalena, a amante e amada de Cristo, na perspectiva de Dan Brown no seu livro "O Código Da Vinci".

Nem Judas Iscariotes interpretado por Joe Pantoliano, na personagem de Cypher foi esquecido. Tal como Judas, Cypher ambicionava, com os 30 dinheiros, uma nova vida. Não podemos ainda esquecer que Cypher em inglês significa cifra em português. Secreto. Cifra é também o algoritmo que representa o zero. Se Cypher ou Judas têm conseguido os seus desígnios não teria havido mudança. Tudo ficaria na mesma (zero).

Mr. Smith, vestido de negro não levanta quaisquer dúvidas. Representa o lado negro da força (para fazer referência a outro grande filme de culto). Mr. Smith é o Diabo, o anjo negro que a todo o custo move as suas forças tentando anular a mudança que se adivinha.

Nem mesmo a mistura entre o pagão e o divino fica de fora. O oráculo, as dúvidas de Jesus em relação à sua missão.

Creio bem que, só vendo os três filme é possível chegar a estas conclusões. É preciso saber ler nas entrelinhas. É preciso ver, não basta olhar a tela!

Não sei se a intenção dos seus criadores foi exactamente esta, dado a diferença de tempo entre os filmes. Mas, mesmo que não tenha sido, o resultado e o caminho que seguiram, certamente a determinada altura já definido, foi extraordinário.

Matrix é talvez um dos melhores filmes do século XX.

1 comentário:

Anónimo disse...

De facto nunca tinha visto o filme por esse prisma mas, agora que falas nisso faz todo o sentido. De facto é uma boa análise e interpretação. Vou rever com outros olhos.

Bom blog.

Continua!