PESQUISAR NESTE BLOG:

domingo, 13 de setembro de 2009

A Pesca do Espadarte - História

Deixo-vos este interessante relato histórico sobre a pesca do espadarte que encontrei na net, bem como, algumas fotos da época.






Ao promover a pesca desportiva ao espadarte em aiolas, recuperando essa valiosa tradição sesimbrense, única no género em Portugal, o Clube Naval de Sesimbra teve por objectivo dinamizar o "big-game fishing" e simultaneamente honrar a memória e a figura do principal «obreiro» dessa actividade nos mares de Sesimbra.
José Pinto Braz, nasceu em Sesimbra em Agosto de 1922 e cedo se iniciou na indústria hoteleira, aproveitando as belezas naturais de Sesimbra, as bonitas praias, a riqueza piscícola e dando azo às suas "vistas largas".

A pesca desportiva ao espadarte iniciou-se em 30 de Outubro de 1954, quando Manuel Frade capturou um espadarte com 153 kg, ao fim de uma luta que durou três horas e quarenta e cinco minutos, que lhe deu a honra de iniciar a pesca desportiva do espadarte nos mares de Sesimbra, uma das melhores áreas do mundo, e ao mesmo tempo ser o primeiro homem a capturar desportivamente, com cana e carreto, um espadarte no Atlântico Europeu.
Os excelentes resultados que se seguiram nos anos seguintes por um grupo de pescadores desportivos, com destaque para o Prof. Arsénio Cordeiro, levaram José Braz a desenvolver uma ideia e um projecto.

Em Julho de 1957 inaugurou um moderno estabelecimento hoteleiro, que designou de Pensão Espadarte e que mais tarde aumentou para 80 quartos passando a designar-se Hotel Espadarte. José Braz viajou por toda a Europa divulgando a imagem turística de Sesimbra através de filmes, fotos dos peixes capturados, brochuras escritas em vários idiomas e emblemas e galhardetes dos famosos espadartes. Da França à Finlândia, Inglaterra, Bélgica, por toda a Europa, José Braz promoveu os momentos inesquecíveis e de maior impacto no turismo de Sesimbra.

A partir de 1958 José Braz dedica uma grande parte do seu esforço à organização de saídas para a pesca do espadarte, tubarão e atum. Pode afirmar-se que foi um dos poucos e verdadeiros impulsionadores da pesca desportiva e do turismo à época. Em 1968 foi-lhe atribuído pela Câmara Municipal de Sesimbra um voto de louvor como reconhecimento do trabalho de promoção turística da Vila de Sesimbra.
Sesimbra obteve em 1958 e ainda mantém ao fim de 42 anos, dois recordes da Europa e do Atlântico Ocidental, o maior espadarte e a captura de dois espadartes no mesmo dia pescados pelo mesmo pescador, Augusto Vilas Boas, respectivamente com 259,5 kg e 144,5 kg.

A enorme quantidade de peixes capturados, a eficiência e seriedade, levou a que Sesimbra fosse considerado o principal porto de "big-game fishing" da Europa, através de referências elogiosas dos pescadores, jornalistas, revistas da especialidade e pela própria IGFA International Game Fish Association.
A partir de 1976 José Braz muda-se para a Madeira e passa a organizar saídas de pesca desportiva com assinalável êxito comercial. Este pioneiro do turismo sesimbrense partiu para sempre, mas deixou-nos uma memória que o Clube Naval de Sesimbra, o seu clube, não quis deixar de homenagear publicamente com a realização deste I Torneio de Pesca ao Espadarte José Pinto Braz.

Também tem de ser realçado o importante papel dos pescadores profissionais, "skippers" ou remadores, cuja acção tinha e tem uma elevada quota de responsabilidade no sucesso das capturas. Nos períodos entre Junho e Novembro, muitas saídas eram realizadas, e nas aiolas, uma pequena embarcação com um par de metros e um par de remos, dois pescadores, um desportivo com uma cana e carreto e outro profissional com a sua arte de remar, lutavam com um gladiador do mar, que muitas das vezes terminava vitorioso. A energia, a vontade de vencer e alguma técnica fazia com que por vezes, ao fim de uma árdua luta, recheada de manha e batalhar, o "Xiphias gladius" fosse derrotado.

Nas palavras de Louis Tchertoff «a pesca ao espadarte à moda de Sesimbra não é para fracotes». O peixe é enfrentado com o conjunto de pesca, cana e carreto, um bom remador e um pequeno barco, no meio do oceano. Tentamo-nos manter sentados no pequeno assento de madeira com o rabo dormente, para sermos despertados por um breve desenrolar do carreto. O espadarte irá dar com a espada na chaputa, que serve de isco, para o matar, voltando depois para o comer. Depois, é preciso derrotar esse gladiador que nunca mais se cansa e apresenta diversas "manhas" para sair vitorioso.

Em toda estes inolvidáveis momentos de pesca, seria imerecido não recordar alguns dos nomes de pescadores profissionais, como o de António Vicente, o mestre «Guiné», a família dos Ratos, o mestre António da Olímpia, o Manuel Graça, o José Capitão, o Pedro Bolota, o Zé da Calma, o Jonas, o Carlos Piló e tantos outros, que ao longo destas décadas de pesca, com a sua generosidade e saber deram assistência e informações aos pescadores desportivos possibilitando o sucesso da saída. Hoje, são ainda alguns desses valentes homens que nos ajudam e entusiasmam.

Os objectivos do Clube Naval de Sesimbra na pesca desportiva ao espadarte passam pela recuperação da valiosa tradição, pescando sem espírito competitivo, mas como um dever de recuperar à memória estas saudosas tradições da Vila de Sesimbra, sabendo que não é fácil capturar o espadarte mas prometendo teimosia suficiente para vencer o desalento, o cansaço e manter a esperança até ao próximo duelo vitorioso, que, quem sabe se não será em 8 de Outubro de 2000.
Nos mares de Sesimbra, com a toponímia dada pelos pescadores profissionais, de Estradinha, Mangão, Mar Novo ou Canto d’ água, o "Xiphias Gladius", o nosso rei do "big-game", continua à espera dos duelos que o Naval de Sesimbra e alguns intrépidos pescadores desportivos e profissionais lhe poderão possibilitar.
Depois, a aplicação das regras da Billfish Foundation, "catch and release", apanhar e largar, o Espadarte de Sesimbra, gladiador dos mares, poderá ficar descansado, pois não será içado e continuará a nadar por esses mares até à próxima batalha.

No passado fim de semana realizou-se o IV Torneio de Pesca ao Espadarte José Pinto Braz, que contou com a participação de várias equipas e individuais. A maior parte das embarcações escolheu a zona a Sul de Sesimbra, onde tentaram capturar um dos espadartes que tem sido vistos nos últimos tempos, beneficiando de uma temperatura da água elevada e condições de mar azul. Apesar de não terem sido capturados espadartes, nos primeiro lugares classificaram-se: Robalo I / C.N.S.; Sophia e Andaluzia.

Venceu o torneio a equipa da casa, Robalo I / C.N.S. que capturou um anequim em cada um dos dois dias da prova, conseguindo 3 pontos na classificação final. Esta equipa era composta por Lino Correia, Diogo Correia, Carlos Bravo e Francisco Pereira.

Em segundo lugar ficou a equipa da embarcação Sophia, um "charter" residente em Cascais, mas que também opera em Sesimbra, cujo "Skipper" é Walter Canelas, antigo Campeão do Mundo de Pesca Desportiva de Alto Mar. A Sophia está dotada dos mais modernos meios e equipamentos para a pesca desportiva de alto mar, com toda a comodidade e segurança. Em terceiro lugar ficou a equipa do Andaluzia capitaneada pelo "Skipper" Luís Santos e da qual faziam parte Geny Braz e Humberto Freitas, excelentes pescadores de alto mar e de grandes peixes na ilha da Madeira, que prometeram fazer melhor no próximo ano. Além de outros participantes, a prova contou com o apoio da Barca Santiago e do Navegador, para a logística e segurança, bem como para a comunicação social e amigos do Torneio José Pinto Braz.

De salientar a espectacularidade dos saltos acrobáticos dos anequins e uma menção para duas lutas superiores a uma hora com dois anequins que acabaram por vencer os pescadores desportivos, em grande parte pela capacidade e força deste peixes, face ao tipo de material de pesca utilizado.

O encontro de "skippers" bem como o jantar de entrega de prémios decorreram no restaurante Pedra Alta do Hélder Chagas, que sabe bem receber os amigos e visitantes de Sesimbra, apaixonados pela pesca desportiva e belezas naturais de Sesimbra, que contou com muitas presenças amigas e que sabem o papéis desempenhado pelo José Pinto Braz no passado e pelo Clube Naval no presente, no desenvolvimento do turismo de qualidade para Sesimbra. O menu como não podia deixar de ser teve como prato principal um delicioso espadarte grelhado.

Até para o ano
José Pinto Braz - 2003

Sem comentários: