PESQUISAR NESTE BLOG:

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

2010 - Ano Internacional da Biodiversidade


Lançado o Ano Internacional da Diversidade Biológica 2010

As Nações Unidas lançaram anteontem em Montreal uma campanha mundial de sensibilização para a salvaguarda da biodiversidade, dando início às comemorações do Ano Internacional da Diversidade Biológica 2010, declarado pela Assembleia-geral da ONU.

De acordo com um comunicado da ONU, a campanha pretende “celebrar a diversidade da vida na Terra e contrariar a perda da biodiversidade no mundo”. Na verdade, o ritmo de extinções é “alarmante”, ou seja, mil vezes o ritmo que seria natural, estima a ONU. “Esta perda é causada pelas actividades humanas e estima-se que seja agravada pelas alterações climáticas”.

O tema da campanha - “A biodiversidade é a vida. A biodiversidade é a nossa vida” – sublinha o “papel crucial da natureza no apoio à vida na Terra, incluindo a nossa”.

“A protecção da biodiversidade é uma preocupação planetária que necessita de uma acção à escala local”, comentou Jim Prentice, ministro canadiano do Ambiente, presente na cerimónia. Participaram ainda no evento o autarca de Montreal, Gerald Tremblay e a ministra do Desenvolvimento Sustentável, Ambiente e Parques do Quebeque, Line Beauchamp.

“O ano 2010 será um ano de mobilização internacional em relação a este desafio global, que nos irá permitir ir mais longe nas nossas acções”, declarou Gerald Tremblay. No âmbito desta iniciativa, a cidade de Montreal criou um Centro de Investigação sobre a Biodiversidade, no Jardim Botânico, e um parque natural de 23 hectares no Monte Royal.

O Ano Internacional da Diversidade Biológica será inaugurado com eventos no Brasil e na Alemanha. Em Janeiro, a Unesco lançará uma exposição internacional, em Paris.

A Assembleia-geral da ONU de 20 de Setembro de 2010 será um evento crucial que preparará a Cimeira da Biodiversidade de Nagoya, em Outubro de 2010, onde os governos definirão os objectivos e etapas para contrariar a perda da biodiversidade.

O ano terminará em Kanazawa, no Japão, em Dezembro de 2010 com uma cerimónia que marca o início do Ano Internacional das Florestas 2011.

Fonte: PÚBLICO, 04-10-2009
--------------------------------------------------------------------------

Portugal cria Comissão para Ano
Internacional da Biodiversidade



(O video original do artigo não era este mas, optei por ele, pois, está em português e é muito bom).

Já Stavros Dimas, comissário Europeu do Ambiente, dissera uma vez que "parar a perda de biodiversidade é uma absoluta prioridade para a União Europeia e um objectivo essencial para a Humanidade". Por isso, os líderes europeus estabeleceram o objectivo de travar a perda de biodiversidade na Europa e a recuperação dos habitats e sistemas naturais até 2010 – ano que ficará inteiramente marcado pelas comemorações dedicadas ao tema. Para o efeito, Portugal está a criar uma Comissão Nacional, que será presidida pelo Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade.

Para o Ano Internacional da Biodiversidade, está previsto um conjunto de políticas a nível nacional, comunitário e europeu. Segundo a Agência Europeia do Ambiente (AEA), as várias políticas incidem em medidas de protecção específicas para espécies e habitats importantes.

Fonte da Secretaria de Estado do Ambiente adiantou ao «Ciência Hoje» existirem duas propostas concretas de programação (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genénicos e Centro de Biologia Ambiental) para a criação de uma comissão nacional, restando definir um calendário único.

A mesma fonte acrescentou que para além de um ciclo de debates, comemorações e visitas a áreas de maior diversidade, ainda poderá existir "uma articulação com o país vizinho, já que Portugal partilha uma área de geo-biodiversidade, com Espanha".

Biodiversidade

A biodiversidade engloba a variedade de genes, espécies e ecossistemas que constituem a vida no planeta. Assiste-se a uma perda constante deste conjunto, com extinções e destruições com profundas consequências para o mundo natural e o bem-estar humano.

As principais causas são as alterações nos habitats naturais, resultantes dos sistemas intensivos de produção agrícola, da construção, da exploração de pedreiras, da sobrexploração das florestas, oceanos, rios, lagos e solos, da introdução de espécies alóctones invasivas, da poluição e, cada vez mais, das alterações climáticas globais. Vários estudos recentes da AEA mostram que se não forem envidados mais esforços políticos significativos, é improvável que esse objectivo seja atingido.Os Estados membros da União Europeia ficarão com a responsabilidade de estabelecer uma ambiciosa abordagem política do Plano de Acção com uma proposta de medidas concretas. Os principais objectivos do plano de acção a nível internacional visam reforçar a importância de conservar a biodiversidade tanto para o bem-estar do Homem como para o desenvolvimento da economia e consciencializar o maior número de pessoas possível.
Em Setembro de 2010 terá lugar uma Assembleia Geral das Nações Unidas tendo por tema precisamente a biodiversidade.

Causas e consequências

Um estudo publicado em 2004, na revista «Nature», sobre os possíveis impactos de um cenário de alterações climáticas moderadas em milhares de espécies de mamíferos, aves, anfíbios, répteis, borboletas e outros invertebrados, em seis zonas ricas em termos de biodiversidade, mostrou que 15 a 37 por cento destas poderão extinguir-se até 2050. O artigo refere as alterações climáticas como a maior ameaça à biodiversidade.

Em 2007 as comemorações internacionais do Dia Mundial da Biodiversidade (22 de Maio) tiveram por tema «A biodiversidade e as alterações climáticas» e em 2010 comemorar-se-á o Ano Internacional da Biodiversidad

Fonte: http://www.cienciahoje.pt

Sem comentários: